Parque Estadual de Vila Velha registra mais de 62 mil visitantes de 36 países, em 2021

parque-estadual-de-vila-velha-registra-mais-de-62-mil-visitantes-de-36-paises,-em-2021
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Unidade de conservação que fica em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, abriga arenitos e animais ameaçados de extinção. Parque ficou 43 dias fechado por causa da pandemia. A “Taça” é um dos cartões postais do Parque Estadual de Vila Velha, nos Campos Gerais
Wesley Bischoff/G1 PR
Mais de 62 mil pessoas passaram pelo Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, em 2021. O balanço foi divulgado pela concessionária que administra a unidade de conservação.
Do total de visitantes, 202 eram estrangeiros. Ao todo, turistas de 36 países diferentes passaram pelo parque, no último ano. Dois terços de todos as pessoas que visitaram o local são do Paraná.
Segundo a administração, a maior parte dos visitantes vieram de Curitiba, Ponta Grossa, Maringá, Joinville e São Paulo.
Desde o início de 2020, o parque é administrado por uma empresa privada. Vila Velha foi a primeira unidade de conservação sob domínio do governo estadual que passou pelo processo de concessão.
Após a mudança na administração, o parque recebeu novos atrativos, além dos passeios entre os arenitos e formações geológicas. Atualmente, Vila Velha conta com tirolesa, arvorismo e voo com balão.
Em 2021, cerca de 11,6 mil visitantes passaram pela tirolesa, enquanto 5,6 mil optaram pela prática de arvorismo. A empresa informou que 110 pessoas fizeram o voo com o balão estacionário.
Por causa da pandemia, o Parque Estadual de Vila Velha chegou a ficar 43 dias fechado, entre fevereiro e março. Até setembro de 2021, a capacidade de público estava limitada em 50%.
Vila Velha
Criado em 1953, o Parque Estadual de Vila Velha é tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Estadual.
Entre os principais atrativos estão os arenitos, que se formaram a milhares de anos. O parque também abriga espécies de animais ameaçados de extinção, como o lobo-guará e o tamanduá-bandeira.
O parque ocupa uma área de 3,8 mil hectares e recebe cerca de 5 mil visitantes por mês.
VÍDEOS: mais assistidos do g1 PR
Veja mais notícias da região no g1 Campos Gerais e Sul.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima