Paraná

Governo do Paraná aumenta valor e torna Programa Cartão Comida Boa definitivo; saiba quem tem direito

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Outros programas sociais como o Água Solidária, Energia Solidária e Aluguel Social também foram modificados e mais famílias serão beneficiadas, conforme o governo. Cartão Comida Boa deve beneficiar em torno de 100 mil famílias
Divulgação/AEN
O Governo do Paraná tornou definitivo, nesta segunda-feira (22), o programa Cartão Comida Boa, com valor de R$ 80 por mês para em torno de 100 mil famílias beneficiadas.
Também foram ampliados o programa Energia Solidária, da Copel, e o Água Solidária, da Sanepar, que passam a atender mais famílias.
Além disso, conforme o Governo do Paraná, o Aluguel Social, recurso assistencial mensal destinado a atender, em caráter de urgência, famílias que se encontram sem moradia, passará de R$ 480 para R$ 600.
Cartão Comida Boa
O Cartão Comida Boa foi criado pelo governo durante a pandemia de Covid-19 e o valor pago, em 2020, era de R$ 50. Segundo o Governo do Paraná, entre junho e agosto foram entregues 794 mil vouchers aos paranaenses, movimentando R$ 2,7 milhões nos supermercados credenciados.
Agora, o valor terá um acréscimo de R$ 30, atendendo famílias que não são atendidas por outros programas assistenciais estaduais ou federais, como o Bolsa Família. Os beneficiados estão cadastrados no CadÚnico.
“As pessoas vão poder comprar o feijão, a mistura com proteína, o básico para que não passem fome. É ajudar as famílias a terem o mínimo para se manterem. Esse é um compromisso que nós temos”, disse o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior.
As famílias que serão beneficiadas foram cadastradas pela Secretaria de Família, Justiça e Trabalho.
“É um valor que fará uma diferença tremenda para quem está passando por dificuldades. É um recurso para as pessoas comprarem alimentos. Vamos atingir, de forma permanente, mais de 100 mil famílias que não estavam recebendo recursos do bolsa família”, afirmou o secretário Ney Leprevost.
Energia Solidária
Programa Energia Solidária, da Copel, será ampliado
Guilherme Puppo / Divulgação
O Programa Energia Solidária vai atender aos moradores que possuem o consumo de energia elétrica, do ciclo de faturamento mensal, de 150 quilowatt-hora (kWh), de acordo com o Governo do Paraná. Antes, o benefício era dado para quem consumia 120 kWh.
Para receber o benefício, segundo o governo, é necessário que a unidade consumidora faça parte do programa Tarifa Social de Energia do Governo Federal. A estimativa do Governo do Paraná é em aumentar em 120% as famílias beneficiadas, passando a atender 336 mil famílias em 2022.
Água Solidária
Água Solidária garante tarifa de R$ 20 a famílias assistidas
Divulgação / AEN
O Programa Água Solidária tem como meta alcançar 360 mil famílias, com tarifa de R$ 20 para o consumo de até 10 mil litros de água, em um subsídio estimado em R$ 275 milhões por ano, de acordo com o Governo do Paraná. Em 2020, o programa atendeu 211.853 famílias.
Segundo o governo, tem direito ao benefício famílias com renda per capita que não pode ser superior a meio salário mínimo federal ou até dois salários mínimos federais para imóveis com quatro ocupantes.
Além disso, conforme o governo, a área construída da moradia não pode ser superior a 70 m². Outra exigência é consumo mensal de até 10 m³, para imóveis com até quatro ocupantes, ou de 2,5 m³ por morador em imóveis com mais de quatro pessoas.
Aluguel Social
Segundo o Governo do Paraná, atualmente 440 famílias recebem o benefício do Aluguel Social. O valor mensal terá um reajuste de 25%, passando à R$ 600.
O programa atende famílias de baixa renda.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 PR
Veja mais notícias da região em g1 Paraná

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima