Agronegócio toledano, técnicos do Mapa e lideranças preparam relatório sobre impacto da estiagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Lideranças do agronegócio de Toledo e representantes do poder público, entre elas o prefeito Beto Lunitti, participaram nesta quarta-feira (12) de um encontro com uma comitiva formada por representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com participação também da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP). O intuito do evento é avaliar os impactos da estiagem e os prejuízos causados no Paraná, em especial no oeste, região mais atingida pela falta de chuvas.

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento (Seab), por meio de técnicos presentes, as lavouras oestinas terão uma queda de aproximadamente 75% na safra, em especial a de soja, o que vai impactar toda a cadeia produtiva. Assim como em outras regiões, já visitadas pela comitiva, uma das maiores preocupações das entidades é o endividamento e a necessidade de renegociação e alongamento da dívida é uma necessidade.

Em Toledo, a estiagem e seus impactos começaram a ser discutidos em agosto de 2021, quando foram realizadas as primeiras ações de apoio aos produtores. Desde então, a administração municipal tem mantido diálogo frequente com os produtores por meio de suas representações e também através do Conselho Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio de Toledo (CMDAT), o órgão tem a finalidade de promover o desenvolvimento sustentável do segmento rural, constituído pelos organismos, entidades e lideranças de produtores rurais e trabalhadores rurais.

De acordo com o prefeito Beto Lunitti, as chuvas têm ficado abaixo da média histórica e aquém da necessidade das propriedades, acentuando ainda mais o problema. “Vamos buscar soluções a curto prazo, esse é o motivo desta reunião, porém é preciso criar formas para fortalecer o campo, com aplicação de tecnologias para que o produtor rural não fique à mercê de intempéries climáticas para garantir sua renda e manutenção da propriedade”. Lunitti ainda acrescentou que foram feitos esforços para dar suporte aos produtores, inclusive com a distribuição de água por meio de caminhões pipa.

Segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral), o município já apresenta perdas de 55% na safra verão de soja e de 73% na de milho e este cenário deve fazer o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) “encolher” mais de R$ 730 milhões no período 2021-2022. Porém, o prejuízo pode ser maior, pois este levantamento ficou restrito às culturas de grãos, sem considerar os problemas que outros setores, como a piscicultura e a bovinocultura leiteira, têm enfrentado.

Todas as discussões realizadas em municípios paranaenses irão gerar um relatório a ser apresentado ao Mapa. Além deste trabalho, na quinta-feira (13), a ministra da pasta, Tereza Cristina, estará em Cascavel. O prefeito Beto Lunitti também estará presente neste encontro.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima