Destaques, Notícias, Toledo

Covid-19: campanha de segundas doses de vacina é lançada em Toledo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Teve início nesta quinta-feira (18) mais uma fase do estudo observacional que avaliará a efetividade da vacina ComiRNArty, da Pfizer/BioNTech, contra a Covid-19 em um cenário de vida real em Toledo, o primeiro deste gênero a ser desenvolvido pela farmacêutica norte-americano em uma cidade de um país em desenvolvimento. Até a próxima segunda-feira (22) serão aplicadas as segundas doses do imunizante em adolescentes com idade entre 12 e 17 anos em uma força-tarefa que atenderá das 8h às 20h no Ginásio Hugo Zeni, nos Centros da Juventude do Coopagro e do Europa, e no Centro de Revitalização da Terceira Idade (Certi) da Pioneira.

Este novo momento importante na superação da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) foi lançado em ato simbólico realizado no começo da tarde no Auditório Acary de Oliveira, transmitido pelas redes sociais da Prefeitura de Toledo e prestigiado por autoridades políticas e representantes das instituições parceiras do estudo: Pfizer do Brasil, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Plano Nacional de Imunização (PNI) e Hospital Moinhos de Vento (Porto Alegre). A mesa de honra do evento foi composta pelo prefeito de Toledo, Beto Lunitti; pelos secretário de Estado da Saúde e de Administração e Previdência, Marcel Micheletto e Beto Preto, respectivamente; pelo vice-prefeito Ademar Dorfschmidt; pelo presidente da Câmara de Vereadores, Leoclides Bisognin; pela secretária municipal da Saúde, Gabriela Kucharski; pela líder médica de vacinas da Pfizer, Olga Mellone; pelo pesquisador principal do estudo observacional e médico intensivista do Hospital Moinhos de Vento, Regis Goulart Rosa e pela diretora do câmpus Toledo da UFPR, Cristina de Oliveira Rodrigues.

Médica especialista em pediatria e infectologia, Cristina reforçou que este é um momento muito importante para a História de Toledo e de toda a humanidade e reforçou a importância da imunização coletiva para o combate à Covid-19 e outras doenças. “Há décadas as vacinas demonstram sua eficácia e nesta pandemia não tem sido diferente, com redução no número de casos, hospitalizações e óbitos, permitindo um retorno gradual à vida normal. Por isso, deixo um recado aos adolescentes e seus pais: não deixem de tomar a segunda dose, pois só com todo mundo protegido conseguiremos dar a volta por cima. Vale lembrar que só no Brasil mais de 2.000 pessoas desta faixa etária morreram após serem infectadas pelo novo coronavírus”, alerta a diretora do câmpus Toledo da UFPR.

Em sua fala, Regis destacou a tradição do Moinhos de Vento, hospital que há 94 anos é referência nacional no setor e falou da importância do estudo na definição dos rumos da pandemia em nível mundial. “Estamos honrados em fazermos parte desta iniciativa, a qual nos trará informações importantes para podermos avançar no entendimento sobre meios de controle desta doença na vida das pessoas. Já temos dados robustos sobre a Covid-19, mas precisamos observar os efeitos a longo prazo em um número maior de pessoas vacinadas levando em conta a diversidade genética delas, bem como as variantes do Sars-Cov-2 que estão em circulação. Também vamos monitorar a durabilidade da proteção oferecida pelos imunizantes e, a partir de tudo isso, será possível desenvolver formas mais eficazes de tratar a Covid-19 e orientar os governos na elaboração de políticas públicas de combate à doença”, explica. “O mundo está de olho em Toledo porque os resultados do estudo que está sendo realizado aqui podem ser decisivos para o planeta superar de vez esta pandemia”, salienta o pesquisador responsável pelo estudo observacional.

Representando a Pfizer na mesa de honra, Olga também deu destaque à tradição da empresa, que está há 70 anos no mercado nacional e com um portfólio significativo em inovações na área médico-farmacêutica. “Desde o início da pandemia estamos trabalhando de forma incansável para conseguir uma vacina, a qual foi desenvolvida em tempo recorde, algo jamais visto em toda a História. Este é só um entre tantos exemplos de como nosso trabalho faz a diferença na vida das pessoas e precisamos incentivá-las a tomar a vacina”, destaca. “Esse estudo tem o objetivo de entender como esta doença evolui no decorrer do tempo, e escolhemos Toledo porque é uma cidade com todas as condições que precisávamos: uma universidade federal, condição geográfica favorável, secretaria municipal de saúde interessada, controle total sobre o trabalho de imunização e estrutura física adequada. Deixo aqui meu reconhecimento ao ótimo desempenho dos profissionais de saúde daqui, todos comprometidos com os objetivos deste trabalho”, avalia a líder médica de vacinas da Pfizer.

Em seguida, Gabriela apresentou um dado bastante animador: o número de primeiras doses já aplicadas em Toledo representa 100% da estimativa de pessoas com 12 anos ou mais que residem no município, anúncio bastante aplaudido pelos presentes ao ato simbólico – 72% deste público já tomou as duas doses ou a dose única do imunizante. “Desde que começamos a vacinar os adolescentes, em agosto, a média móvel diária de casos caiu de 50 para 10, queda que começou a ser percebida depois de três a quatro semanas do início deste trabalho. Com isso, também houve redução no número de hospitalizações e óbitos, o que me faz reforçar o pedido para que todos completem o esquema vacinal, tomando as duas doses ou a terceira para quem já pode recebê-la. A vacina tem dado resultado e é um orgulho para Toledo estar contribuindo com a ciência na batalha pelo fim da pandemia e por fazer parte deste estudo da Pfizer que conta com a parceria do Moinhos de Vento, da UFPR e do Plano Nacional de Imunização”, analisa a secretária municipal da Saúde.

O presidente da Câmara emocionou-se ao lembrar da esposa Neusa, falecida em 18 de janeiro deste ano, uma das 468 vítimas fatais da Covid-19 em Toledo. “Infelizmente, não teve a chance de receber a vacina, assim como centenas de pessoas de nosso município. Contudo, acredito na ciência, pois é a partir dela que se encontram as soluções para todos os problemas. Não temos motivos para pensar diferente, pois milhões de vidas já foram e continuam sendo salvas pelas vacinas”, pontua. “Por tudo isso, a realização deste estudo observacional em Toledo nos torna referências mundiais em imunização, porque oferecemos todas as condições técnicas para a Pfizer ter nos escolhido. Aqui se acredita na ciência e aproveito para expressar minha gratidão a todos os envolvidos, principalmente à comunidade que aderiu à campanha de vacinação contra a Covid-19”, agradece Bisognin.

Admiração, reconhecimento e gratidão foram os sentimentos que nortearam a fala do vice-prefeito de Toledo. “A pandemia, quando começou, em março do ano passado, causou um certo pânico e meses depois começaram a vir notícias de vacinas que estavam sendo desenvolvidas em várias partes do mundo. Nesse meio tempo, houve as eleições, o Beto e eu fomos escolhidos pelo povo de Toledo, e começamos a designar as pessoas que nos acompanhariam nesta caminhada. Na Saúde fizemos escolhas técnicas, que se mostraram um acerto em muito pouco tempo, pois toda esta competência foi colocada à prova nos primeiros meses de mandato, no pior momento da pandemia. Nós não desanimamos diante das dificuldades e fizemos de tudo para amparar a população nesta hora, na qual pudemos contar com o apoio do Governo do Estado. Inclusive no maior desafio da minha vida: assumir a cadeira de prefeito por 15 dias, quando o titular precisou ficar internado para se refazer da Covid-19”, recorda. “Agora o horizonte é outro: fomos escolhidos pela Pfizer para este estudo, que coloca Toledo nas páginas dos jornais do mundo inteiro por estarmos ajudando a humanidade como um todo. O Brasil anda mal falado por aí, mas é preciso dizer ao mundo que temos aqui o SUS, o melhor plano público de saúde do planeta, que oferece condições de termos um índice de vacinados superior, por exemplo, ao dos Estados Unidos”, acrescenta Ademar.

O secretário de Administração e Previdência falou da importância de ter um câmpus da UFPR com curso de Medicina em Toledo. “Precisamos de pessoas que trabalham olhando para o futuro e o tempo é o senhor da razão. Quando, no primeiro mandato do prefeito Beto Lunitti, veio esta universidade para cá, não se deu a devida importância a esta conquista, mas o tempo mostrou quem estava certo. Pois essa atitude, lá atrás, está rendendo frutos e muitos mais virão nos próximos anos em razão do talento da nossa gente”, lembra. “O Governo do Estado tem conseguido quebrar paradigmas e um deles permitiu a rápida estruturação das unidades hospitalares em todo o Paraná, com planejamento estratégico regionalizado que reduziu significativamente a perda de vidas humanas.  As nuvens escuras que a pandemia trouxe estão indo embora e já vemos o sol surgir no horizonte”, comenta Marcel.

Beto Preto falou sobre o esforço da Secretaria de Estado da Saúde em levar doses do imunizante contra a Covid-19 o mais rapidamente possível a todo o Paraná. “Elaboramos uma logística para que estas vacinas chegassem em, no máximo, dois dias após recebermos os lotes do Ministério da Saúde. Não paramos em momento algum, nem os vacinadores dos 399 municípios paranaenses, a quem presto minha homenagem. Temos uma estratégia que é avaliada diariamente, o que inclui a questão dos leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] que saltaram de 1.200 para 3.200 em poucos meses e a testagem em massa, a maior média de RT-PCR entre os estados da Federação, o dobro de São Paulo”, detalha. “Este estudo da Pfizer em uma cidade tão importante para o Paraná é, para nós, motivo de honra e prestígio, pois representa o nosso desejo de vacinarmos o maior número de pessoas, abrindo caminhos para que a vacinação dos adolescentes se ampliasse e fosse considerada pelo governo federal. Neste objetivo, torcemos para que, em breve, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorize a aplicação de doses em crianças com idade entre 5 e 11 anos. A esperança que antes estava distante, agora está muito mais perto”, salienta o secretário de Estado da Saúde.

Encerrando o ato simbólico, o prefeito de Toledo enalteceu a qualidade e a dedicação dos profissionais da saúde no combate à pandemia. “Temos uma equipe altamente qualificada, que exerce sua função de forma técnica, seguindo os protocolos, o que foi decisivo para a escolha de Toledo pela Pfizer para este estudo e também para a adesão da população à campanha de vacinação. Todo este contexto favorável foi construído coletivamente e só consigo agora expressar minha gratidão por todos aqueles que se envolveram nesta questão. Alguns, infelizmente, perderam ou conhece alguém que perdeu a batalha contra o novo coronavírus, e a eles deixo aqui minha solidariedade. Foi em torno desta empatia com o sofrimento alheio que as energias foram canalizadas por este governo, que tem a filosofia de colocar os recursos materiais a serviço da vida das pessoas. Além de sermos líderes na produção agropecuária, Toledo também está se notabilizando em produzir boas notícias que colocam o Paraná e o Brasil em evidência nos quatro cantos do mundo”, compara.

O ato simbólico contou ainda com a presença do diretor da 20ª Regional de Saúde, Alberi Locatelli; da gerente médica de vacinas da Pfizer, Viviane Julião; da gerente de relações governamentais da farmacêutica, Milena Bourroul; do presidente do Conselho Municipal de Saúde, Teomar Roque Jantsch; dos representantes do deputado federal Sérgio Souza do deputado estadual Hussein Bakri, Ronaldo Olmo e Marcos Zanetti, respectivamente; do coordenador regional da Casa Civil, Mateus Maurício Ramos; da superintendente da Associação Beneficente de Saúde (Hoesp), Zulnei Bordin; e do diretor-geral do Consórcio de Saúde dos Municípios do Oeste (Consamu/Oeste), João Gabriel Avanci.

Logo após o evento, os presentes foram convidados a se dirigir ao posto de vacinação do Hugo Zeni, cedido gentilmente desde fevereiro pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Smel) para a campanha de imunização contra a Covid-19. As secretarias da Juventude e de Assistência Social e Proteção à Família repetiram o gesto e colocaram os Centros da Juventude e os Certis à disposição da Saúde.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima