Mundo

Israel ataca Faixa de Gaza em retaliação a disparo de foguete contra seu território

israel-ataca-faixa-de-gaza-em-retaliacao-a-disparo-de-foguete-contra-seu-territorio
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Israel atacou depois que um foguete foi disparado daquele território palestino em direção a Israel e foi interceptado pelo sistema antimísseis ‘Domo de Ferro’. Confronto entre palestinos e forças de segurança de Israel deixam mais de 150 em local sagrado de Jerusalém
Forças israelenses atacaram a Faixa de Gaza na manhã desta terça-feira (19, noite de segunda, 18, em Brasília) em retaliação ao o disparo de um foguete que foi lançado do território palestino contra Israel, informaram testemunhas e o movimento islâmico Hamas.
Compartilhar pelo WhatsApp
Compartilhar pelo Telegram
Aviões israelenses atacaram o sul da Faixa de Gaza, segundo testemunhas. O braço armado do Hamas afirmou que abriu fogo contra aviões israelenses.
“Parabéns aos homens da resistência que enfrentaram os aviões de guerra com nossa defesa antiaérea”, disse Hazem Qassem, porta-voz do Hamas, em comunicado.
Leia também
Israel derruba foguete lançado de Gaza e adverte Jordânia com aumento de tensões em Jerusalém
Qassem disse que as forças israelenses atacaram lugares vazios.
Chamas em Rafah, no sul da Faixa de Gaza, em 19 de abril de 2022
Said Khatib / Afp
Testemunhas e fontes de segurança na Faixa de Gaza não relataram feridos nos ataques.
Militares israelenses falaram em retaliação
Israel atacou depois que um foguete foi disparado daquele território palestino em direção a Israel e foi interceptado pelo sistema antimísseis “Domo de Ferro”.
“Em retaliação a esse ataque, aviões de guerra do exército israelense atacaram fábricas de armas da organização terrorista Hamas na Faixa de Gaza”, disseram os militares israelenses.
No fim de semana houve uma onda de violência na Esplanada das Mesquitas (tanto dentro do local como ao redor), o terceiro local sagrado do Islã e o primeiro local sagrado do judaísmo, onde mais de 170 pessoas ficaram feridas, a maioria palestinos.
Veja os vídeos mais assistidos do g1

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima