Mundo

‘Putin negou o direito da Ucrânia de existir’, diz chanceler na Assembleia Geral da ONU

‘putin-negou-o-direito-da-ucrania-de-existir’,-diz-chanceler-na-assembleia-geral-da-onu
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Países se reúnem na sede das Nações Unidas para discutir a crise entre Rússia e Ucrânia após o reconhecimento de duas regiões separatistas pelo governo de Vladimir Putin. Ministro da Ucrânia: ‘Putin negou nosso direito de existir’
O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, criticou nesta quarta-feira (23) a decisão do presidente russo Vladimir Putin de reconhecer duas regiões separatistas do país.
“Putin negou o direito da Ucrânia de existir”, disse Kuleba na Assembleia Geral da ONU.
O chanceler ucraniano também pediu ajuda de outros países e afirmou que as ações da Rússia “foram muito além da segurança”.
Compartilhe pelo WhatsApp
Compartilhe pelo Telegram
Na segunda-feira (21), o presidente russo Vladimir Putin reconheceu, em decreto, a independência das províncias separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano.
A região também poderá receber soldados russos para operações de “manutenção de paz”, segundo a decisão do Kremlin.
Reunião da ONU em 23 de fevereiro de 2022
Timothy A. Clary / AFP
O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse nesta quarta-feira (23) na abertura da Assembleia Geral da organização que o mundo enfrenta um momento de perigo com a crise na Ucrânia.
Para Guterres, “a decisão da Rússia de reconhecer a chamada ‘independência’ das regiões de Donetsk e Lugansk e as ações subsequentes são violações da integridade territorial e soberania da Ucrânia e são incompatíveis com os princípios da Carta da ONU”.
ONU vai fazer nova reunião sobre a crise na Ucrânia
Mais tarde, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, tomou a palavra, enfatizando que a Ucrânia não era uma ameaça para a Rússia.
Leia também
Rússia x Ucrânia: quais as chances de conflito se transformar em Guerra Mundial?
Sandra Cohen: Para Trump, Putin é genial e pacificador em relação à Ucrânia
“A Ucrânia nunca planejou nem está planejando nenhuma operação militar em Donbass”, disse ele. Há alegações russas de ações militares na região leste da Ucrânia, onde esses enclaves separatistas pró-Rússia estão localizados.
Kuleba pediu à ONU que tome “medidas concretas e rápidas” para impedir a escalada, que ele diz ser alimentada pelo avanço militar das tropas russas.
“O início de uma guerra em grande escala na Ucrânia será o fim da ordem mundial como a conhecemos”, afirmou Kuleba.
A reunião da Assembleia Geral com a participação de todos os 193 membros da ONU é uma sessão anual para discutir os “territórios temporariamente ocupados da Ucrânia”, realizada desde a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014.
Vários ministros estão programados para falar na reunião desta quarta-feira, que durará o dia todo.
Guterres, que originalmente não estava programado para comparecer, decidiu fazê-lo depois de voltar correndo para Nova York e cancelar uma viagem à África.
Veja vídeos para entender a crise entre Rússia e Ucrânia

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima