Cronologia: relembre minuto a minuto a invasão do Congresso dos Estados Unidos por apoiadores de Trump

cronologia:-relembre-minuto-a-minuto-a-invasao-do-congresso-dos-estados-unidos-por-apoiadores-de-trump
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Há um ano, uma multidão invadiu o prédio do Congresso dos EUA em uma tentativa de reverter os resultados das eleições presidenciais. Quatro pessoas morreram e cerca de 140 policiais ficaram feridos. Foto de 6 de janeiro de 2021, dia da invasão ao Capitólio dos EUA, mostra policiais conversando com apoiadores do então presidente americano, Donald Trump, incluindo Jacob Chansley (à direita), do lado de fora do plenário do Senado
Manuel Balce Ceneta/AP
No dia 6 de janeiro de 2021, apoiadores do ex-presidente Donald Trump atacaram o prédio do Capitólio, a sede do Congresso dos Estados Unidos em uma tentativa de mudar os resultados das eleições que foram vencidas por Joe Biden.
Quatro pessoas morreram no dia, cerca de 140 policiais foram feridos. Desde então, quatro policiais que atuaram no incidente morreram.
Os momentos que antecederam a invasão do Capitólio
Veja a cronologia (a hora é local de Washington):
O começo da manifestação
“Lutem como o diabo”
O Congresso começa a convenção
Mike Pence rejeita os pedidos de Donald Trump
A polícia é dominada
Prédio do Congresso é invadido
Retirada apressada
O policial solitário
Trump reaparece
Momento fatal
“Continuem pacíficos”
“Vocês são muito especiais”
A Guarda Nacional chega
Prédio seguro
Democracia prevalece
LEIA TAMBÉM
Sandra Cohen: Invasão do Capitólio por seguidores de Trump ainda divide os republicanos
Policiais do Capitólio processam Trump por incitação à invasão de 6 de janeiro de 2021
Brasileiro que invadiu Capitólio dos EUA é condenado a liberdade condicional e multa
Entenda abaixo o que ocorreu em cada momento
Apoiadores de Trump em ato nesta quarta-feira (6) em Washington, nos Estados Unidos
Jacquelyn Martin/AP
1. O começo da manifestação
10h50: Apoiadores de Donald Trump se reuniram em um parque perto da Casa Branca. O tema do encontro era “Salvem os EUA”. Rudy Giuliani, um dos advogados de Trump, pediu para que a multidão se envolvesse em um “julgamento por combate”.
2. “Lutem como o diabo”
12h: Donald Trump começa seu discurso. Ele repete mentiras sobre a eleição ter sido roubada e diz aos seus apoiadores que eles devem “lutar como o diabo”.
Trump discursa para apoiadores em Washington
REUTERS/Jim Bourg
3. O Congresso começa a sessão
12h53: Legisladores (senadores e deputados) se reúnem para uma sessão conjunta do Congresso para certificar a vitória eleitoral de Joe Biden. Eles superam as objeções de alguns legisladores do Partido Republicano.
Do lado de fora, uma primeira leva de apoiadores de Trump chega perto do prédio onde os congressistas estavam reunidos. Eles derrubam as barricadas que protegiam o perímetro e gritam contra os policiais.
4. Mike Pence rejeita os pedidos de Donald Trump
13h02: O vice-presidente Mike Pence, que tinha o mandato para certificar a vitória de Biden, divulga uma carta na qual deixa claro que ele não vai alterar os resultados das eleições, como Trump havia pedido.
Trump pressiona Mike Pence para não certificar a eleição americana
5. A polícia é dominada
13h30: Após o discurso de Trump, milhares de manifestantes se dirigem ao prédio do Congresso. Uma multidão domina os policiais nas escadarias do edifício. Os policiais são obrigados a recuar.
Apoiadores de Trump cercam congresso americano
6. Prédio do Congresso é invadido
Manifestantes pró-Trump invadem o Capitólio dos EUA em 6 de janeiro de 2021
Reprodução/GloboNews
14h12: Os manifestantes entram no prédio, incialmente, atravessando janelas quebradas, no piso inferior ao do salão onde o Senado conduzia uma sessão.
MAPA: invasão ao Capitólio, em Washington
Wagner Magalhãs/G1
7. Retirada apressada
14h12: Agentes de segurança retiram Mike Pence do Senado e o levam a um gabinete próximo. O senador Charles Grassley interrompe a certificação da eleição.
8. O policial solitário
14h14: Eugene Goodman, um policial que trabalhava no prédio e que estava sozinho, entra em confronto com manifestantes que estavam subindo a escadaria que dá acesso a duas entradas a câmaras do Senado. Goodman consegue fazer com que a multidão não se dirija ao salão, e, assim, os legisladores ganham tempo para se proteger, e os outros policiais conseguem trancar as portas.
9. Trump reaparece
14h24: No Twitter, Trump critica Mike Pence. Para o ex-presidente, seu vice não teve coragem para fazer o que era necessário.
10. Momento fatal
14h44: Uma das manifestantes, Ashli Babbitt, tenta atravessar uma porta que estava fechada para ter acesso a uma área conhecida como o lobby do discurso. Um policial dispara um tiro, e ela morre.
Mulher morre após ser atingida por tiro dentro do Capitólio, diz emissora americana
11. “Continuem pacíficos”
15h13: A televisão mostrava ao vivo o ataque. Trump diz a seus apoiadores para cederem. Ele escreve: “Estou pedindo que todos no Capitólio dos EUA permaneçam em paz. Sem violência!”
12. “Vocês são muito especiais”
16h17: Depois de horas de violência, Trump divulgou um vídeo no qual ele pede para que os manifestantes voltem para casa. No entanto, ele também diz: “Nós amamos vocês, vocês são muito especiais”. Ele então repete mentiras sobre a eleição.
Trump pede para apoiadores irem para casa
13. A Guarda Nacional chega
17h30: Os primeiros agentes da Guarda Nacional chegam, mas a essa hora, quase toda a violência havia terminado.
14. Prédio seguro
20h: A polícia do Congresso decretou que o prédio estava seguro. Poucos minutos depois, Pence reabriu os procedimentos no Senado.
Mike Pence, vice-presidente dos EUA, e Mitch McConnell, líder republicano no Senado (acima, de máscara azul claro), chegam à sessão de contagem de votos no Congresso dos EUA nesta quarta-feira (6)
Andrew Harnik/AP Photo
15. Democracia prevalece
3h40: Na madrugada do dia seguinte, Pence conclui o processo de certificação dos votos. Ele confirma que Biden havia vencido as eleições.
Joe Biden: “não é protesto, é insurreição”
VÍDEOS: a invasão do Congresso dos EUA

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima