Papa Francisco celebra Missa do Galo e convida fiéis a ‘amar a pequenez’

papa-francisco-celebra-missa-do-galo-e-convida-fieis-a-‘amar-a-pequenez’
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Mais cedo que o habitual, homilia teve convite do pontífice a ‘amar a pequenez’ como um ‘caminho para a verdadeira grandeza’ e a ‘redescobrir as pequenas coisas da vida’. Papa Francisco celebra a missa do galo na basílica de São Pedro
O papa Francisco convidou os fiéis a “amar a pequenez” em um novo apelo por humildade durante a tradicional Missa do Galo na Basílica de São Pedro em Roma, nesta sexta-feira (24).
Cerca de 2.000 pessoas, segundo a assessoria de imprensa do Vaticano, compareceram à celebração, usando máscaras e sentadas distantes umas das outras.
Entre os presentes na cerimônia, celebrada em vários idiomas, estavam embaixadores e representantes de outras denominações cristãs, além de mais de 200 padres, bispos e cardeais.
Os fiéis que ficaram sem ingresso puderam acompanhar a missa do lado de fora, na Praça de São Pedro, por meio de telões.
g1 transmitiu Missa do Galo ao vivo; veja como foi
Kate Middleton toca piano em especial de Natal na TV britânica; assista
Papa Francisco celebra a Missa do Galo no Vaticano
Guglielmo Mangiapane/Reuters
‘Redescobrir as pequenas coisas da vida’
Em sua homilia, o pontífice argentino de 85 anos convidou os fiéis a “amar a pequenez” como um “caminho para a verdadeira grandeza” e a “redescobrir as pequenas coisas da vida”.
Chamando a Igreja a ser “amável, pobre e fraterna”, Jorge Mario Bergoglio, defensor dos vulneráveis, alertou contra a “indiferença” diante da pobreza.
“Jesus ao nascer estava rodeado justamente pelos pequenos, pelos pobres, (…) próximos dos esquecidos das periferias. Ele vem de onde a dignidade do homem é posta à prova”, destacou.
“Voltemos às origens: aos fundamentos da fé, ao primeiro amor, à adoração e à caridade”, insistiu o religioso.
Covid
Esta é a segunda missa de Natal consecutiva em tempos de Covid.
Em 2020, apenas 200 pessoas, a maioria funcionários do pequeno Estado do Vaticano, puderam assistir à missa devido às restrições sanitários.
Nesta quinta-feira, o papa já havia pedido à Cúria Romana que mostrasse “humildade” e “sobriedade” e fugisse do “mundanismo” e do “orgulho” durante suas tradicionais celebrações de Natal.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima