Foca ameaçada de extinção é encontrada morta com tiro na cabeça no Havaí

foca-ameacada-de-extincao-e-encontrada-morta-com-tiro-na-cabeca-no-havai
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Espécie só existe no arquipélago havaiano. Autoridades investigam quem pode ter matado o animal. Foca-monge-do-havaí foi encontrada morta na ilha de Molokai, no Havaí, em setembro
Hawaii Marine Animal Response via AP
Uma foca-monge-do-havaí encontrada na ilha de Molokai, no Havaí, em setembro, foi morta intencionalmente com uma arma, disseram autoridades nesta terça-feira (21).
Funcionários da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês) afirmaram em um comunicado que a jovem foca levou um tiro na cabeça. A espécie está ameaçada de extinção.
Esta foi a terceira morte intencional de uma foca-monge na ilha em 2021 e a sétima nos últimos 10 anos, de acordo com a NOAA. Duas outras foram mortas por “trauma contuso” em Molokai em abril.
“As mortes intencionais dessa espécie ameaçada de extinção são devastadoras para a recuperação dessa população”, afirma a NOAA.
Restam apenas algumas centenas de focas-monge nas principais ilhas havaianas. Cerca de 1.100 outras vivem nas ilhas remotas e desabitadas do noroeste do Havaí. A espécie não é encontrada em nenhum outro lugar.
O Havaí é a casa das focas-monges-do-havaí
Globo Repórter/ Reprodução
A causa da morte de várias outras focas na ilha foi inconclusiva por causa do estado de decomposição das carcaças.
Matar espécies ameaçadas de extinção é crime nos EUA. As mortes estão sendo investigadas. As focas-monge às vezes são vistas como um incômodo ou competição para pescadores.
Em uma entrevista coletiva na terça-feira, as autoridades estaduais disseram não ter nenhuma indicação de quem poderia ser o responsável pelas mortes.
“Não se enganem. Essas mortes intencionais são atos perversos e desprezíveis perpetrados contra um animal em extinção em seu próprio habitat natural”, disse o chefe da Divisão de Conservação e Fiscalização de Recursos do Havaí, Jason Redulla. “Os culpados ​​devem ser responsabilizados.”
Esse tipo de crime pode levar à pena de até cinco anos de prisão, destacou Redulla.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima