Portugal impõe restrições após Natal devido à ômicron

portugal-impoe-restricoes-apos-natal-devido-a-omicron
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp


Governo determinou o fechamento de boates e bares e recomendou às pessoas que trabalhem em casa por pelo menos duas semanas a partir de sábado; lojas terão restrições de capacidade e hotéis e eventos exigirão apresentação de testes negativos. Quase 50% dos casos no país – um dos mais vacinados do mundo – são da variante ômicron. Passageiros usam máscaras em bonde em Lisboa, Portugal, em foto de 17 de dezembro
AP Photo/Armando França
Portugal determinou nesta terça-feira (21) o fechamento de boates e bares e recomendou às pessoas que trabalhem em casa por pelo menos duas semanas a partir de sábado para controlar a disseminação da Covid-19 durante o período de festas.
“Este ainda não é o Natal normal a que estamos acostumados”, disse o primeiro-ministro António Costa em entrevista coletiva. “Se não adotarmos essas medidas agora, as consequências para a vida de todos serão muito piores depois do Natal e do Ano Novo.”
Costa também anunciou restrições de capacidade nas lojas e disse que um teste de coronavírus negativo agora será necessário para ficar em hotéis ou ir a eventos.
Autoridades também limitarão as reuniões ao ar livre a 10 pessoas por grupo na véspera de Ano Novo, quando um teste negativo será necessário para entrar em restaurantes, cassinos ou participar de festas em espaços públicos, afirmou Costa.
Alemanha limita a 10 pessoas as reuniões e festas de fim de ano
A maioria das medidas anunciadas por Costa deveria entrar em vigor no início de janeiro, mas a atual situação da pandemia forçou o governo a antecipá-las, acrescentou.
Portugal, que tem uma das taxas de vacinação mais elevadas do mundo contra a Covid-19, com cerca de 87% dos seus 10 milhões de habitantes totalmente inoculados, enfrenta um surto de infecções juntamente com o restante da Europa, em parte devido à rápida disseminação da variante ômicron.
Quase 50% dos novos casos de coronavírus em Portugal são da variante ômicron, informou o instituto nacional de saúde.
Vídeos: Os mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima