To Circulando – Toledo

1° LirAa aponta alto risco de epidemia de dengue em Toledo

A Prefeitura de Toledo anunciou nesta quarta-feira (13) uma série de ações de controle e combate ao avanço da dengue no município. As medidas a serem tomadas são baseadas na divulgação do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), que apontou 4,5%. Aproximadamente 2.000 imóveis da área urbana foram visitados pelos agentes de combate a endemias (ACEs).

De acordo com o prefeito Beto Lunitti, alguns trabalhos iniciados pela Secretaria do Desenvolvimento Ambiental e Saneamento já contribuem para melhorar a situação. O recolhimento de entulhos e volumosos depositados nas caçambas disponibilizadas pela administração municipal em alguns bairros, como Jardim Europa e Vila Paulista, perfazendo aproximadamente 200 toneladas de materiais descartados pela população é uma delas. Também já foram retomadas as roçadas e cortes de grama em diversos espaços.

Apesar de a grama e o mato não serem ambientes de proliferação, a coordenadora de Combate às Endemias, Lilian Konig, explica que essa vegetação alta acaba escondendo criadouros. “Quando a grama está cortada e o mato encontra-se roçado, a população não se sente confortável para descartar objetos que acabam se tornando depósitos nas vias públicas”, observa.

Beto ainda convocou a população ao enfrentamento. “Não podemos nos acostumar com esse problema. Algumas pessoas podem pensar que todo ano vai ocorrer esse problema, então pensa em deixar assim. Temos que fazer o enfrentamento, com pulso firme, determinado e alertando a população sempre”. Lunitti ainda reforçou que, dentro da sua liberdade, cada um precisa assumir também suas responsabilidades.

A secretária de Saúde, Gabriela Kucharski, lembrou que o índice de 4,5% coloca o município em estado de alerta. “Esse resultado nos traz uma grande preocupação, já que estamos vivendo uma pandemia de coronavírus. Os sintomas da dengue em muitos momentos se assemelham aos da Covid-19. Como isso nos coloca numa situação de risco elevado, a gente pede que a população cuide dos seus quintais, faça o descarte do lixo corretamente e evite manter utensílios que acumulem água em seus terrenos ou dentro das casas”, pontua.

Febre, dor no corpo e na cabeça e manchas pelo corpo são sintomas presentes nas duas doenças, porém os profissionais de saúde já estão mais habituados com o atendimento de Covid-19 e dengue, e conseguem realizar o diagnóstico. “Quando o médico não tiver informações clínicas conclusivas, ele pode, como já vem acontecendo, pedir exame para as duas doenças: dengue e Covid-19. Em alguns casos isso já vem acontecendo”, relata Gabriela.

Ecoponto Itinerante

No primeiro sábado de fevereiro, dia 6, às Secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento realizarão o Ecoponto Itinerante, uma ação intersetorial que contribui bastante para a diminuição de infestação. “O Ecoponto Itinerante foi uma atividade que teve excelentes resultados em minha primeira passagem pelo governo municipal e, em virtude disso, vamos retomar”, justifica Beto Lunitti.

O primeiro bairro a receber o Ecoponto é o Jardim Independência. A região teve o maior índice de infestação, com presença de larvas em 33% dos imóveis visitados. Beto ainda destaca as políticas efetivas e constantes de controle e combate às endemias. “Teremos campanhas para conscientizar nossa população de forma permanente”, acrescenta.

Casos

Toledo atualmente tem 191 notificações. Destes casos suspeitos, 111 foram descartados, três estão confirmados e 77 aguardam resultado de exame laboratorial. “Esses dados foram colhidos desde primeiro de agosto, que é quando começa o ano epidemiológico para a Dengue. Como de agosto até agora é um período de baixa incidência, três óbitos se torna preocupante”, afirmou a diretora de Vigilância em Saúde, Helena Nickel.

LIRAa

O primeiro LIRAa realizado em 2021 apontou um índice de infestação considerado alto frente ao preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de menos de 1%. O bairro com maior incidência é o Jardim Independência, com 33% de infestação nos imóveis visitados. A região II do bairro Tancredo Neves atingiu 25%. Os locais com maior predominância de larvas é o lixo doméstico, seguido por tonéis e pneus. “Antigamente o principal problema eram os vasos de plantas, porém as campanhas de conscientização fez com que as pessoas tomassem mais cuidado com esses locais e o mosquito acabou buscando outros criadouros. Por isso, é necessária a atenção das pessoas a todos os objetos que acumulem água”, salienta Lilian.

Fonte:Assessoria

Receba notícias como essa em primeira mão

Circule com a gente!

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on google
Share on email

Veja Támbem