Destaque, Paraná, Toledo

Com mais de 4 mil casos confirmados, dengue ainda causa preocupação em Toledo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (15) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que Toledo registrou, de agosto do ano passado (início do ano epidemiológico vigente) até a presente data, 4.171 casos de dengue (4.117 autóctones e 54 importados). Deste total, 468 foram computados nos últimos sete dias (9 a 15/6), um aumento de 1.74% em relação ao período anterior (2 a 8/6), quando 458 pessoas testaram positivo para a doença transmitida pelo Aedes aegypti.

Em números absolutos, houve um crescimento de 12,64% em relação à semana anterior. Essa quantidade pode ficar ainda maior, pois há ainda 236 exames aguardando resultado. Somando os casos confirmados, os que estão em análise e os 562 que já foram descartados, 4.969 pessoas com sintomas da doença procuraram os serviços de saúde durante o atual ano epidemiológico.

No ranking das comunidades com o maior número de pessoas que testaram positivo para a doença causada pelo Aedes aegypti, as dez primeiras posições ficaram com Panorama (388), Centro (332), Europa (227), Boa Esperança (211) e Fachini (207). Em quantidade de criadouros do mosquito encontrados em imóveis no período entre 9 e 15 de junho, chama a atenção o número de criadouros encontrados nos bairros Panambi (56), América (48) e Europa (32).

O setor de Controle e Combate às Endemias, da SMS, tem trabalhado incansavelmente para conter a doença e conclama a população a redobrar as ações de combate ao Aedes aegypti de forma a impedir sua reprodução, o que não demanda muito esforço: uma vez por semana, é preciso fazer um “pente fino” no quintal e retirar a água acumulada em vasos, pneus, garrafas, calhas, plantas, entre outros lugares – o frio não elimina as larvas do Aedes aegypti, que podem resistir a baixas temperaturas por até um ano. Outro ponto importante é permitir que os agentes de combate a endemias (ACEs) tenham pleno acesso aos imóveis facilitados a fim de poderem fazer o trabalho de vistoria e orientação dos moradores.

Para evitar quadros mais graves, quem estiver com sintomas típicos da doença – manchas avermelhadas na pele, dor abdominal, febre, dor no corpo e cansaço – deve procurar assistência médica imediatamente. Nunca é demais lembrar: a dengue mata e tudo que for possível para preveni-la deve ser feito!

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima