Destaque, Outras Notícias, Toledo

Segurança alimentar: repasses a entidades e famílias consolidam ações na área

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Preocupação constante da administração municipal, a política pública de segurança alimentar e nutricional dos toledanos escreveu nesta quarta-feira (8) um importante capítulo de sua história. Pela manhã, representantes de seis organizações da sociedade civil (OSC) receberam o primeiro repasse do Programa Municipal de Aquisição de Alimentos Direto do Agricultor Familiar (PAA Municipal); à tarde, mais de 500 famílias de renda zero receberam cestas básicas em quatro pontos da cidade.

O PAA Municipal está regulamentado pela Lei “G” nº 2.415/2022 e prevê, até o fim do ano, o repasse de aproximadamente R$ 150 mil em itens alimentícios em favor da Ação Social São Vicente de Paulo, Centro Social e Educacional Aldeia Infantil Betesda, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Toledo (Apae), Associação Promocional e Assistencial de Toledo (APA Lar dos Idosos), Centro Assistencial da Diocese de Toledo/Casa de Maria, Centro Beneficente de Educação Infantil Ledi Maas Lions – todas integram a rede socioassistencial e possuem registro no Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), além de termo de fomento assinado com a administração municipal. Quinzenalmente, cada entidade fará o agendamento e a posterior retirada dos produtos na Unidade Central de Produção Alimentos/Cozinha Social.

Em quantidades e valores proporcionais ao número de pessoas atendidas por cada OSC, a remessa de hoje teve alface, batata doce, beterraba, carne bovina (dianteira/traseira), carne suína, cenoura, cuca caseira, filé de tilápia, macarrão caseiro, mandioca, pães (caseiro/integral), polpa de frutas e repolho. Para o início destes repasses um ato simbólico de lançamento foi realizado no estacionamento da Cozinha Social e foi prestigiado pelo prefeito Beto Lunitti; pela secretária de Assistência Social, Solange Silva dos Santos Fidelis, que estava acompanhada da diretora de proteção social básica, Camila Perachi; e por representantes das entidades beneficiadas.

Entre eles, estava o diretor-executivo do Centro Social e Educacional Aldeia Infantil Betesda, pastor Lineu Wutzke, que destacou a importância destes alimentos para o funcionamento da entidade nos próximos meses. “Houve um aumento no valor destes produtos desde o início do ano e, para manter as refeições que servimos diariamente, estamos deixando de fazer alguns reparos na estrutura física. Muitas vezes, os recursos precisam vir de promoções que fazemos. Então, essa segurança de contar até o fim do ano com esses alimentos nos permite planejar as ações de curto prazo”, relata.

Solange falou sobre os avanços que o PAA Municipal traz à política pública de segurança alimentar e nutricional. “É um programa que representa um grande avanço nesta área, beneficiando tanto as famílias da agricultura familiar quanto aquelas que são atendidas por estas organizações. Com isso, conseguimos, enquanto poder público, ampliar nossa capacidade de atendimento junto àqueles que estão na base da sociedade. É o caso, infelizmente, de muitas crianças que só fazem se alimentar na quantidade e na qualidade adequadas nessas entidades ou, então, nos Cmeis e escolas que também recebem refeições produzidas pela Cozinha Social”, comenta.

Beto entende que, em se tratando de segurança alimentar e nutricional, Toledo tem uma obrigação ainda maior com sua população, pois é o maior produtor de alimentos do Paraná. “A cidadania se constrói com o tempo e deve ser reafirmada em cada ato do poder público e de toda a sociedade. Por exemplo: o debate sobre oferecer meios para que todas as pessoas façam três refeições por dia vem de algum tempo e, desde então, avançamos nesta pauta. Porém, ainda há muito por ser feito e os governos precisam ter sensibilidade de, ao mesmo tempo, fortalecer a economia e estar a serviço do bem-estar das pessoas”, pontua. “Toledo é referência em segurança alimentar, com a Cozinha Social preparando diariamente 15 mil refeições que atendem a rede municipal de ensino e oito restaurantes populares. Essa estrutura não se viabiliza do dia para a noite, precisa da atuação política de grandes líderes, como nosso ex-prefeito José Carlos Schiavinato, responsável por iniciar este trabalho em 2012, o qual demos continuidade quando assumimos no ano seguinte e estamos aprimorando na atual gestão. Para o ano que vem queremos aumentar o valor de repasse do PAA Municipal para as entidades e vamos trabalhar, a partir dos princípios da cidadania plena, para que nenhum toledano viva a triste experiência da fome ou da insegurança alimentar”. destaca.

Cestas básicas

Falando ainda em restaurante popular (RP), em quatro deles houve na tarde desta quarta-feira a distribuição de 509 cestas básicas a famílias de renda zero (sem emprego fixo ou assistência de programas assistenciais) que estão cadastradas em cinco Centros de Referência de Assistência Social (Cras). Deste total, 246 foram entregues no RP do Boa Esperança, 116 no do Europa, 80 no do Panorama e 67 no do Coopagro.

Essas cestas básicas foram enviadas pelo Ministério da Cidadania por intermédio da Defesa Civil do Paraná. Ao todo, Toledo recebeu 1.000 unidades que foram trazidas de Curitiba para cá com o apoio da Guarda Municipal – o restante será repassado nos próximos dias, em programação que será divulgada em momento oportuno às famílias beneficiadas.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima