Destaque, Outras Notícias, Toledo

“Contos e Desencantos” dá início ao Festival de Teatro de Toledo 2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

A peça “Contos e Desencantos” deu início, nesta quarta-feira (1º), às emoções do Festival de Teatro de Toledo 2022. E não poderia ter sido melhor: centenas de alunos de oito escolas (Shirley Maria Lorandi Saurin, Alberto Santos Dumont, Anita Garibaldi, Arsênio Heiss, Ari Arcássio Gössler, Borges de Medeiros, Carlos Friedrich e Norma Friedrich) se divertiram e aprenderam muito nas duas sessões (uma pela manhã e outra à tarde) do espetáculo realizado no Teatro Municipal.

Encenada pela Cia. Os Amadores de Teatro, de Toledo, a peça conta com uma mescla de personagens infantis, na qual Chapeuzinho Vermelho desrespeita sua mãe, levando a cestinha de guloseimas para a vovó pela floresta. No meio do caminho, Chapeuzinho acaba comendo as guloseimas e joga as embalagens pelo caminho, o que deixa o Lobo Mau, que nesta estória é um defensor da floresta, enfurecido.

Para que a paz volte a reinar neste ambiente, Cinderela, Bela Adormecida e o Porquinho ajudam o Lobo Mau a descobrir quem anda poluindo a floresta. Até descobrirem o culpado pela poluição, os personagens envolvem-se em muitas confusões, que arrancaram gargalhadas da plateia.

Mas a diversão delas começou antes de as cortinas se abrirem, com uma apresentação bem divertida sobre a importância de se separar corretamente o lixo orgânico do reciclável que foi abrilhantada pela presença do Tchutchucão, mascote de várias ações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente que é adorado pelas crianças. A pasta apoia o festival  que contemplou peças para o público infantil dedicadas à temática de cuidado com meio ambiente. “Por intermédio do Junho Verde, conjunto de ações que vamos realizar neste mês em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, que será lembrado no próximo domingo, 5 de junho, fechamos uma parceria com a Secretaria da Cultura para apoiar o Festival de Teatro incluindo na programação espetáculos em que a questão da educação ambiental será tratada de uma forma lúdica”, explica o secretário do Meio Ambiente, Júnior Henrique Pinto.

Outra secretaria que apoia o festival é a da Educação, que está mobilizando alunos e professores para participar do evento. A titular desta pasta, Marli Gonçalves Costa, marcou presença na abertura e falou brevemente à plateia, sobretudo aos docentes. “Assumi esta missão há pouco tempo e estamos fazendo tudo para resolver as demandas mais urgentes, como a falta de professores nas escolas e de hora-atividade desta categoria, para que todos tenham plenas condições de trabalhar em alto nível”, comentou.

Antes dela, a secretária da Cultura, Rosselane Giordani, deu as boas-vindas aos presentes. “Estamos muito felizes em ver o teatro cheio de crianças para assistir a uma peça teatral que aborda um tema tão importante. Deixo aqui meu ‘muito obrigado’ à Educação, ao Meio Ambiente e à Viação Sorriso por ter disponibilizado os ônibus que trouxeram as crianças”, agradeceu Rosselane. “Outra parceria importante para a realização deste evento é com a Rede Regional de Cultura e Patrimônio do Oeste do Paraná, Itaipu Binacional e Conselho dos Municípios Lindeiros que fomentam o projeto Correnteza Cultural, do qual o município de Toledo também faz parte”, observa.

No período da tarde, o prefeito Beto Lunitti apareceu antes do início do espetáculo “Contos e desencantos”. Nem discursou, somente cumprimentou a plateia e seguiu para o próximo compromisso de sua agenda.

Programação

O Festival de Teatro de Toledo segue até 11 de junho com mais oito espetáculos e uma oficina – todos com entrada gratuita. Os espetáculos destinados ao público infanto-juvenil, a maioria com temática ambiental (no clima do Junho Verde), seguem até o dia 9.

Nesta quinta-feira (2), a atriz Maia Piva, de Cascavel, estrela a peça “Histórias de todo mundo” e ministra, a partir das 18h30, a oficina “Todo mundo conta histórias”, destinada a professores da educação infantil (número de vagas limitado a 20). No dia seguinte, as palhaças Pidi Mandô (Tayssa Camila) e Nublada (Alice Carine), ambas de Cascavel, apresentam o espetáculo “Reciclável Público”.

O grupo Bonecarte, de Foz do Iguaçu, assinam a peça “O Sol Vermelho”, que será encenada no dia 6 de junho. No dia seguinte, o grupo Trapos & Farrapos, de Toledo, apresenta o espetáculo “Sol Vermelho”.

Maia Piva volta à cena com a peça “Histórias de todo mundo” no dia 8 de junho. Todos estes espetáculos serão apresentados em duas sessões (às 9h e 14h30) e contam com o apoio do programa Correnteza Cultural, da Rede Regional da Bacia do Paraná 3 (BP3), entidade mantida pela Itaipu Binacional.

Este público também poderá acompanhar no dia 9, em sessão única, às 14h30, o espetáculo “Tá todo mundo louco”, do grupo de teatro infanto juvenil de Maripá. Com direção, texto, figurino e maquiagem de Nara Mattana, a peça é uma realização da Plim Produções Artísticas e Animações e da prefeitura do município vizinho.

Público em geral

Também com entrada franca, as atrações para o público em geral iniciam-se na próxima sexta-feira (10), com o espetáculo “O vazio de Alphea”, da Cia. Técnica, que sobe ao palco do Teatro Municipal às 20h. No dia seguinte, no mesmo horário, o Coletivo de Dança e Teatro, de Toledo, encena a peça “Psicose 4:48”, a qual marca oficialmente o término do Festival de Teatro de Toledo.

Contudo, mantendo a linguagem teatral no centro das atenções, o principal palco da cultura toledana recebe no dia 12 de junho (domingo), às 18h, o espetáculo “Hemanoteu na Terra de Godah”, com a Companhia de Comércio Os Melhores do Mundo. As entradas já estão à venda no site Disk Ingressos.

Espetáculos do Festival de Teatro de Toledo

Local: Teatro Municipal de Toledo

2/6 e 8/6 – quinta-feira e quarta-feira – 9h e 14h30* – Histórias de todo mundo – Maia Piva/Cascavel**

O universo das histórias de todos os tempos, contadas para crianças de todas as idades. Por meio de uma viagem pelas histórias contadas e cantadas, este espetáculo viaja pelos universos literário e oral da contação de histórias, por meio de um repertório diversificado.

3/6 – sexta-feira – 9h e 14h30* – Reciclável público – Palhaças Pidi Mandô (Tayssa Camila) e Nublada (Alice Carine)/Cascavel**

O espetáculo conta a vida cotidiana de duas catadoras de papelão interpretadas por duas palhaças que reforçam o empoderamento feminino, envolvendo o público em um universo cheio de simplicidade, humor e educação, conscientizando a plateia sobre temas de extrema importância na atualidade, tais como, consumismo, responsabilidade ambiental, sustentabilidade social e empresarial.

6/6 – segunda-feira – 9h e 14h30* – O sol  vermelho – Bonecarte/Foz do Iguaçu**

Numa floresta paranaense, dois amigos se encontram para brincar e contar histórias de sustentabilidade e preservação de recursos naturais. Oncinha e Tu-tu-tu-cano são moradores da floresta que percorrem o território em busca de novos/as amigos/as para compartilhar histórias que vêm do fundo do rio e do alto do céu. Nesta ocasião, os dois amigos narram a lenda guarani do “sol vermelho” que também é a história do amor e da amizade de Picazú e Igtá, que precisam enfrentar as forças misteriosas que governam a terra, o rio e o céu para salvar a preservar os rios. Mas, no meio do Rio Paraná, surge uma ilha misteriosa: morada para os amores impossíveis. O que será que Oncinha e Tu-tu-tu-cano têm para nos contar?

7/6 – terça-feira – 9h e 14h30* – Severino faz chover – Trapos & Farrapos/Foz do Iguaçu**

A peça conta a história do menino Severino e das dificuldades enfrentadas pelo seu povo no Nordeste brasileiro, como a seca e o processo migratório dos retirantes. Tomado pela esperança, Severino sonha em fazer chover e, apesar de todos os obstáculos, ele continua alegre e cheio de ideias. Junto de seus amigos trama vários planos para que o seu sonho e de todo seu povo se realize. E aí, será que Severino faz chover?

9/6 – quinta-feira – 14h30* – Tá todo mundo louco – Grupo de teatro infanto-juvenil de Maripá

Com direção, texto, figurino e maquiagem de Nara Mattana, a peça é uma realização da Plim Produções Artísticas e Animações e da prefeitura do município vizinho e narra a estória de uma menina que, incentivada pela vó que sempre lhe conta histórias encantadas em uma de suas leituras, acaba viajando para um Reino Encantado. Quer dizer, nem tão encantado assim, pois ali ela vai conhecer um príncipe, uma princesa e muitos outros personagens e descobrir que nem tudo precisa ser perfeito para ser encantado.

10/6 – sexta-feira – 20h* – O vazio de Alphea – Cia. Técnica de Cascavel

A história, que se passa em duas realidades de uma mesma existência, é permeada por um estudo da jornada própria de cada um com pitadas de poesia. Algo que faz cada um questionar o que cada um tem feito para preencher o vazio que sente e o porquê de ele ser tão existente no ser humano.

11/6 – sábado – 20h* – Psicose 4:48 – Coletivo de Dança e Teatro/Toledo

Adaptação da peça homônima, de Sarah Kane, a peça apresenta uma personagem psicótica afetada por tentativas frustradas de cura química. Em um fluxo de ideias, analogias, números e escritas, ela entra em um estado depressivo crônico cujo pedido de socorro é: “apenas tente me entender. Não me julgue, esconda sua pena e seu desprezo! Não é culpa sua, mas a culpa também não é minha. Às 4:48, quando o desespero vem…”. Direção de Gabbiel e Junior Cunha, que fazem parte do elenco junto com as atrizes Kerol de Souza e Priscila Santos.

12/6 – domingo – 18h – Hermanoteu na Terra de Godah – Cia. Os Melhores do Mundo

Criada originalmente em 1995, a peça é exibida até hoje em várias cidades do Brasil e conta a história de Hermanoteu, um urbano típico, obediente e bom pastor do tempo do Antigo Testamento da Bíblia. Hebreu da Pentescopeia, ele recebe uma missão de Jeová para libertar a Terra de Godah. Em sua viagem, várias coisas inusitadas acontecem, interligando inúmeros elementos e personagens de diferentes tempos e lugares da História. No desenrolar dos acontecimentos, há vários momentos de improviso, saindo assim de um roteiro linear, o que acaba gerando muito mais surpresa no público e fazendo com que um espetáculo seja sempre diferente do outro. Curioso é que o grupo teatral sempre tenciona utilizar assuntos relacionados ao lugar onde eles estão apresentando a peça.

*Entrada gratuita

** Apoio da Correnteza Cultural/BP3

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima