Destaque, Outras Notícias, Toledo

Prefeitura divulga números da dengue e anuncia ação para o próximo sábado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Divulgado nesta quarta-feira (4), boletim da Secretaria da Saúde (SMS) aponta para um quadro epidemiológico de desaceleração da epidemia de dengue em Toledo. Do início do atual ano epidemiológico (em agosto de 2021) até agora, 817 casos da doença (797 autóctones e 20 importados) foram confirmados, um aumento de 5,56% em relação à semana anterior.

A quantidade de pessoas com dengue ainda pode aumentar, pois há 584 exames aguardando resultado. Somando os casos confirmados, em análise e os 584 que já foram descartados, 1.985 pessoas com sintomas da doença (manchas avermelhadas na pele, dor abdominal, febre, dor no corpo, cansaço, entre outros) procuraram os serviços de saúde desde agosto do ano passado.

No ranking das comunidades com o maior número de pessoas que testaram positivo para a doença causada pelo Aedes aegypti, as dez primeiras posições ficaram com Centro (88), Panorama (69), Novo Sarandi (67), Paulista (61), Boa Esperança e Gisela (49, cada), Pancera (47), Vila Nova (34), Pioneira (33) e Coopagro (32). Em quantidade de criadouros do mosquito encontrados em imóveis no período entre 28 de abril e 4 de maio, o pódio é ocupado por Operária (190 focos), Panorama (145) e Croma (134).

Ecoponto – Neste momento delicado, o setor de Controle e Combate às Endemias, orienta a população a redobrar as ações de combate e prevenção ao mosquito, impedindo que este se reproduza em locais onde a água pode acumular, tais como vasos, pneus, garrafas, calhas, plantas, entre outros lugares. Para auxiliar neste procedimento, a administração municipal promove no próximo sábado (7), das 8h às 13h, o Ecoponto Itinerante contra a Dengue.

A ação vai atender a Vila Paulista, um dos bairros com maior incidência de infestação no município. A intenção com a atividade é auxiliar os moradores com o recolhimento de materiais que possam acumular água e se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Diferente de outros ecopontos, desta vez o foco não é o recolhimento de resíduos volumosos, como restos de poda e entulhos.

A prioridade será a coleta de objetos (embalagens, garrafas, plásticos, entre outros) que podem se tornar depósitos de água. “Será um trabalho diferenciado. Pedimos às pessoas que façam uma vistoria minuciosa nos seus quintais e verifiquem qualquer recipiente que possa acumular água da chuva e servir de depósito para as larvas do mosquito”, explica a coordenadora de Controle e Combate às Endemias, Lilian Konig. “Teremos veículos da Prefeitura fazendo o recolhimento destes materiais. Quem quiser também pode levar até o local onde vamos concentrar os trabalhos, na Rua Paulista, próximo a ponte do Rio Toledo, no Bairro Tancredo Neves”, completou o secretário do Meio Ambiente, Júnior Henrique Pinto.

Além disso, solicita-se que os moradores não criem resistência ao trabalho dos agentes de combate a endemias (ACE) nas vistorias que realizam os imóveis a fim de verificar a existência de criadouros do Aedes aegypti. “Só com o apoio da população será possível frear a disseminação do mosquito que transmite a dengue e outras doenças, como febre chikungunya, zika vírus e, em alguns países, febre amarela. Também recomendamos às pessoas que apresentarem sintomas de dengue a procurarem imediatamente atendimento médico, evitando os quadros mais graves da doença”, reforça a secretária de Saúde de Toledo, Gabriela Kucharski.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima