Destaque, Outras Notícias, Toledo

Alerta: com casos crescendo 32,76%, dengue continua preocupando Toledo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

A dengue continua sendo motivo de preocupação para as autoridades sanitárias de Toledo, que vive oficialmente uma situação de epidemia há mais de dez dias. Segundo boletim divulgado nesta quarta-feira (27) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 191 casos da doença foram confirmados no município entre 21 e 27 de abril, fazendo o número total saltar de 583 para 774, crescimento de 32,76% em apenas uma semana.

Deste total, 754 advêm de contaminações em Toledo (autóctone) e 20 são de pessoas que foram infectadas fora dos limites do município (importado). Estes números tendem a crescer significativamente nos próximos dias, pois há 502 exames aguardando resultado. Somando os casos confirmados, em análise e os 366 que já foram descartados, 1.642 pessoas com sintomas da doença (manchas avermelhadas na pele, dor abdominal, febre, dor no corpo, cansaço, entre outros) procuraram os serviços de saúde desde agosto do ano passado, início do ano epidemiológico vigente.

No ranking das comunidades com o maior número de pessoas que testaram positivo para a doença causada pelo Aedes aegypti, as dez primeiras posições ficaram com Centro (85), Panorama (66), Paulista (60), Nova Sarandi (53), Boa Esperança e Gisela (49, cada), Pancera (47), Pioneira (33), Coopagro (32) e Operária (31). Em quantidade de criadouros do mosquito encontrados em imóveis no período entre 21 e 27 de abril, o pódio é ocupado por Croma (133), São Francisco (106) e Panorama (99).

Neste momento delicado, o setor de Controle e Combate às Endemias orienta a população a redobrar as ações de combate e ao mosquito transmissor da dengue, impedindo que este se reproduza em locais onde a água pode acumular, tais como vasos, pneus, garrafas, calhas, plantas, entre outros lugares. “Para frear a disseminação da dengue em nosso município, é fundamental a realização das vistorias pelos agentes de combate a endemias, os ACEs, nos imóveis. Por isso, quando baterem em sua casa, facilite o trabalho deles e siga todas as orientações que forem dadas”, aconselha a secretária da Saúde, Gabriela Kucharski. “Também recomendamos às pessoas que apresentarem sintomas de dengue a procurarem imediatamente atendimento médico, evitando os quadros mais graves da doença”, acrescenta.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima