Destaque, Toledo

Toledo utiliza fitoterápicos no tratamento de feridas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Os resultados positivos do tratamento com calêndula oferecido aos pacientes no Ambulatório de Feridas, desenvolvido pela Secretaria de Saúde de Toledo chamou a atenção e, nesta quinta-feira (17), foram colhidos depoimentos de servidores municipais e pacientes para entender melhor o formato adotado pela administração municipal.

O uso da calêndula tem adesão de aproximadamente 40% dos pacientes em tratamento e é indicada para diversas condições clínicas como úlceras de pressão, em especial de hospitalizados ou acamados, problemas venosos e arteriais, feridas oriundas de problemas com diabetes [pé diabético], sequelas de hanseníase, queimaduras, amputações, machucados a traumas, oncológicos e complicações pós cirúrgicas. “Nós usamos a droga vegetal, certificada e com registro da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], na forma de chá. Como nossos pacientes chegam aqui com uma gravidade maior, com lesões bastante severas e de exposição profunda, existe a necessidade deste controle e a certeza de que os princípios ativos da planta medicinal estejam presentes e sem contaminação”, explica a enfermeira responsável pelo Ambulatório, Elisa Konno.

Em todas estas situações, os profissionais utilizam a calêndula como parte do tratamento. O uso é feito por meio de infusão (chá), com a função de limpeza no início do tratamento e emoliência. “Assim ela auxilia nos desbridamentos manuais [extração de corpos estranhos e tecidos desvitalizados ou necróticos, proporcionando as condições ideais para a cicatrização] que fazemos aqui. Ela, devido ao cuidado que temos com a qualidade, é segura para se utilizar em todos os tipos de feridas que atendemos aqui e nós fazemos a indicação para a maioria dos nossos pacientes”, acrescenta.

Sobre os resultados, os relatos são de melhora no aspecto da pele, como a hidratação, e maior conforto com diminuição da ardência e frescor. Uma incentivadora do tratamento fitoterápico é Leny Gomes. Vítima de um acidente automobilístico em 2013, a paciente foi atendida, com uma lesão bastante grave e muito tecido necrótico, e os bons resultados foram percebidos com rapidez. “Todos os dias eu vinha fazer o curativo. O uso da calêndula foi sugerido pela equipe e em um mês já era possível observar a melhora. Os tecidos foram se reconstruindo gradualmente”, relata. Apesar dos esforços da equipe e a recuperação da pele, houve uma necrose óssea que acabou resultando na amputação do membro na altura do joelho. “A calêndula também foi de extrema importância também no pós-cirúrgico, com banho banho na cicatriz e auxiliou demais na recuperação. Com 20 dias a ferida da amputação já estava fechada e na recuperação não houve infecção”, completa a paciente.

Acesso ao tratamento – A enfermeira Elisa Konno foi uma das entrevistadas e expôs o uso do chá de calêndula por pessoas com feridas complexas. Atuando no local desde 2011, a profissional detalhou como acontece o atendimento dos pacientes e como eles chegam ao Ambulatório. “São usuários do SUS [Sistema Único de Saúde] e atendidos pela Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência. Quando a equipe detecta um problema mais grave ou resistente, ela nos encaminha para uma avaliação e orientação sobre a conduta”. Em muitos casos, o paciente volta para os cuidados da UBS, enquanto em algumas situações eles permanecem sob acompanhamento especializado. “Auxiliamos com o manejo desta ferida, em conjunto com a UBS, e o paciente continua sendo atendido aqui de forma semanal ou quinzenal, conforme a gravidade”.

Atualmente a equipe, além da enfermeira, conta com duas técnicas de enfermagem e um profissional médico. “O atendimento é multidisciplinar. Quando o paciente chega, ele é acolhido pelo médico, com consulta e avaliação de exames, e este suporte é oferecido todos os dias. A enfermagem realiza o curativo em si, os desbridamentos [extração de corpos estranhos e tecidos desvitalizados ou necróticos, proporcionando as condições ideais para a cicatrização] e demais procedimentos necessários”. Após, a equipe discute caso a caso e é decidida a conduta em relação à lesão.

O Ambulatório atende todos os públicos, desde crianças, porém com maior proporção de pessoas idosas. O local possui salas para atendimento médico e de enfermagem, três boxes para os curativos, almoxarifado e demais salas necessárias para lavagem de materiais e expurgo. A estrutura é anexa à Unidade Básica de Saúde do Jardim Coopagro.

Programa municipal de fitoterápicos – Com as ações centradas na Farmácia Pública de Manipulação, o programa tem à disposição uma estrutura física e humana completa, com profissionais de saúde especialistas em plantas medicinais e fitoterápicos. Por mês, o órgão distribui pacotes de chás à base de plantas medicinais adquiridos por meio de licitação e manipula fórmulas fitoterápicas utilizadas no tratamento de doenças como hipertensão, diabetes, saúde mental e tratamento de feridas.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima