Destaque, Toledo

Covid-19: Casos diminuem no público geral e seguem crescendo entre crianças

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

A análise semanal realizada pelo Centro de Operações Emergenciais (COE) nesta terça-feira (22) apontou uma queda de 40,83% nos casos de Covid-19 em Toledo. A Semana Epidemiológica 07 (SE07), entre 13 e 19 de fevereiro, registrou 1263 infecções, com três pacientes evoluindo para óbito. A SE06 (6 a 12/02) fechou com 1840 casos, com oito óbitos conforme as informações da Secretaria de Saúde. Apesar da diminuição, a bandeira vermelha foi mantida e o COE aguarda o quadro se manter estável, ou em queda, por mais uma semana para a mudança da matriz de risco.

Mesmo com a queda no público geral, os casos de coronavírus em crianças de 0 a 9 segue crescendo e o aumento foi de 21,68%, saltando de 429 para 522 contaminados. Outra faixa que registrou maior número de infecções foi dos 10 aos 19 anos. Na SE06 foram 336 casos, subindo para 418 na SE07, ampliação de 24,40%. Neste momento, essas são as populações com menor cobertura, considerando o esquema vacinal completo (duas doses e o reforço) previsto no Plano Nacional de Imunização (PNI).

Este fator fez com o COE reforçasse a necessidade de intensificar a vacinação dos 5 aos 11 anos. Atualmente, nesta faixa etária já foram aplicadas 4821 doses, totalizando 36,34% do público alvo. “A Secretaria de Saúde tem disponibilizado a vacina em diversos pontos [Centro da Juventude do Jardim Europa e unidades básicas de saúde do Alto Panorama, Europa, Pancera, Jardim Porto Alegre e Centro de Saúde]. Também realizamos um mutirão no último sábado (19), com 342 duas doses aplicadas em dois pontos: CJU Europa e UBS Coopagro”, explicou o integrante do COE e responsável pela apresentação dos dados, Fernando Pedrotti.

O crescimento de casos nesta faixa etária, conforme Pedrotti, se justifica por ser o público com menor cobertura vacinal. “As mutações do vírus sempre vão levando ele para um hospedeiro com menos resistência. Como já temos uma população com mais idade vacinada, ele procura caminhos mais fáceis para sua sobrevivência, nesse caso chegando nas crianças que ainda não receberam o imunizante”, acrescentou.

Importância e segurança das vacinas – Diante do quadro, o COE reforça a necessidade de avançar com a vacinação em todas as faixas etárias. “Temos 93,99% da nossa população geral com duas doses ou dose única. O reforço já chega a 80,23% da nossa população com idade acima de 60 anos e 43,97% na faixa de 18 a 59 anos. Porém, é preciso avançar mais”, frisa Pedrotti, lembrando que para ser considerado imunizado o paciente deve ter recebido as duas doses e mais o reforço.

Sobre a segurança da aplicação dos imunizantes, em dezembro de 2021, a Nature Medicine apresentou um estudo realizado na Inglaterra mostrando maior risco de miocardite desencadeada pela doença Covid-19 em maiores de 16 anos, quando comparado com o risco de miocardite após as vacinas (após a 1ª e 2ª doses) da Pfizer (aplicada em Toledo), Moderna e Astrazeneca. Segundo a publicação, foram 40 casos de miocardite para cada milhão de pacientes após testarem positivos para Covid-19, enquanto o risco de miocardite após a primeira dose da vacina ficou entre 1 a 6 casos por milhão e após a segunda dose 10 casos por milhão.

Horários e locais para vacinação pediátrica contra o coronavírus

UBS Alto Panorama – 13h30 às 17h30 – 50 doses

UBS Pancera – 8h às 11h – 40 doses

Centro de Saúde – 13h às 18h30 – 60 doses

UBS Europa – 13h às 16h – 40 doses

UBS Jardim Porto Alegre – 7h às 12h30 – 60 doses

CJU/Europa – 8h às 19h – 250 doses

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima