Destaque, Destaques

Toledo será o sexto município paranaense a contar com um Banco de Alimentos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Convênio assinado entre a Prefeitura de Toledo e a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) viabiliza a implantação do Banco de Alimentos no município. Com 24  meses de duração, o convênio prevê R$1,2 milhão em investimentos, sendo a maior parte do Governo do Estado e uma contrapartida de perto de R$ 60 mil do município. A solenidade aconteceu no Auditório Acary de Oliveira, anexo à Prefeitura, na manhã da última segunda-feira (13).

A assinatura do convênio contou com a participação do chefe do Núcleo Regional da Seab, Paulo Salesse; do secretário de Estado da Administração e Previdência, Marcel Micheletto; vereadores; vereadoras; empresários; prefeito; vice; gestores; equipe da Cozinha Social e membros da comunidade. A implantação do Banco de Alimentos, estabelecendo a logística de recolhimento e recuperação de alimentos, se soma ao Programa Municipal de Compra Direta da Agricultura Familiar, ao trabalho desenvolvido pela Cozinha Social e os restaurantes populares, fortalecendo uma das prioridades sociais do governo, que é a política municipal de segurança alimentar.

O chefe do Núcleo Regional da Seab, Paulo Salesse, disse que “nosso governo tem feito um esforço para distribuir alimentos para quem precisa”. O presidente da Câmara de Toledo, Leoclides Bisognin, falou sobre a preocupação não apenas da falta de alimentação, mas sobre a população estar “comendo errado” e elogiou os projetos de Segurança Alimentar.

O secretário de Estado da Administração e Previdência, Marcel Micheletto, enalteceu o trabalho realizado em Toledo. “A implantação do Banco de Alimentos é fantástica, mostra a força política de Toledo para realizar parcerias. Não é resto de alimento, é comida nutritiva”, afirmou Micheletto ao lembrar que Toledo foi prestigiado com o convênio do Banco de Alimentos, mesmo sendo uma cidade abaixo de 200 mil habitantes (critério para a seleção do convênio). “Isso mostra a força, a pujança, desse município e das lideranças. Projetos como esse é que fazem com que a economia do nosso Estado continue crescendo”, pontuou.

O prefeito Beto Lunitti destacou o trabalho que vem sendo realizado pela equipe da Cozinha Social e afirmou que o “Banco de Alimentos é uma boa conquista do Programa do Governo do Estado, no sentido de olhar para os menos favorecidos. Isso que estamos falando caracteriza a economia a serviço da vida”, salientou Lunitti.

Objetivo da implantação

O diretor da Cozinha Social, Luiz Carlos Bazei, fez uma apresentação antes da assinatura do convênio para expor o que abrange o projeto do Banco de Alimentos. Ele tem como principal objetivo o combate ao desperdício de alimentos, destinando-se ao recolhimento, por meio de doações, bem como selecionar e encaminhar alimentos para consumo humano, comunitário ou individual, por intermédio de aparato logístico ágil. Visa combater a fome por meio da recuperação de alimentos desperdiçados durante a cadeia produtiva, porém adequados ao consumo humano. Captar doações de produtos não comercializados e promover sua distribuição, diretamente ou através de entidades previamente cadastradas, e às pessoas e/ou famílias em estado vulnerável.

A meta do Banco de Alimentos é atender gratuitamente as entidades socioassistenciais, grupos organizados com famílias devidamente cadastradas, complementando as refeições diárias, além dos alimentos, devem receber assistência educacional para manuseio e aproveitamento dos mesmos por meio da Cozinha Escola.

Com a criação da Cozinha Escola os beneficiários do equipamento e as instituições doadoras terão capacitações com orientações sobre boas práticas de manipulação e reaproveitamento integral de alimentos, garantindo um alimento seguro e proporcionando alternativas em sua apresentação, oportunizando o conhecimento dos usuários e a geração de uma possível fonte de renda. “Não basta distribuir, é fundamental ensinar a manipulação e o preparo adequado aos alimentos, desenvolver receitas com o aproveitamento integral dos alimentos, contribuindo para a melhoria da saúde das pessoas atendidas”, explica Bazei.

O público alvo do Banco de Alimentos é constituído de hospitais, asilos, casas de recuperação, entidades socioassistenciais, casas lares, entre outros que atendam pessoas em estado de insegurança alimentar e nutricional e famílias em vulnerabilidade social. O Banco de Alimentos será instalado no Jardim São Francisco nas proximidades do Restaurante Popular.

MAIS NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

Rolar para cima